domingo, 31 de outubro de 2010

Fadas e Folclore




Assim são fadas: seres da natureza, brincalhões ou malévolos, mulheres maravilhosas, idealizações do feminino positivo mas, antes de qualquer coisa, mitos. É esta dimensão mitológica que as torna tão arreigadas na mente humana e persistentes nas tradições dos mais diversos povos.

Desse modo, não é de se estranhar, portanto, que os contos de fada, apesar de sua antiguidade, continuem a resistir e a se impor como um tipo de narrativa sempre contada. No cinema, nas histórias de banda desenhada, os contos de fadas retornam com novas energias e novo vigor como uma fénix que renascesse das próprias cinzas. Este fato se deve aos elementos arquetípicos presentes nos contos maravilhosos elementos esses profundamente entranhados no inconsciente colectivo, parte essencial da bagagem psíquica do homem na sua viagem pelo planeta terra. As fadas, os príncipes encantados, as bruxas, as terras maravilhosas, os reis, os gigantes são morfemas míticos básicos para a existência do homem, este animal criador de símbolos, de sonhos, de mitos e de ilusões. 

Artigo de José Carlos Leal.

Um comentário:

Eugênia Cristina disse...

se você criadora deste blog nao acredita em fadas ou contos de fadas por favor nao estrague talves a opiniao de alguem que acreditaria nao estrague esse sonho.Uma menina de 7 a 9 anos ainda tem o direito de acreditar em coisas assim e sao essas pessoas adultas por dentro e por fora que intimidam nossas crianças que cada dia a dia passam a ser adolecentes mais cedo do que o necessario