terça-feira, 17 de julho de 2012

Impermanencia...

Do ponto de vista buddhista, nós, seres humanos, vivemos de uma maneira muito peculiar. Vemos as coisas impermanentes como permanentes, embora tudo esteja mudando ao nosso redor. O processo da mudança é constante e eterno. 
Enquanto você lê estas palavras, seu corpo está envelhecendo, mas você não presta atenção a isto. [...] 
As paredes à sua volta estão envelhecendo. 
As moléculas dentro dessas paredes estão vibrando com enorme intensidade. 
Tudo está mudando, decompondo-se e dissolvendo-se vagarosamente.  
Você também não presta atenção a isto. 
Então, um dia, você olha ao redor. 
Seu corpo está enrugado, rangendo e tudo dói. [...] 
Você se lamenta pela juventude perdida e chora quando suas posses se vão. 
De onde vem esta dor? Ela vem de sua própria desatenção. 
Você falhou em não olhar intimamente para a vida; em não observar o fluxo constante da mudança no mundo enquanto ele passava...
(Henepola Gunaratana, Meditação para Todos)

3 comentários:

Malu disse...

Tenho prestado atenção às coisas que realmente existem, procurando fantasiar menos diante da matéria. Sabe que tem sido melhor... Excelente postagem.
Um grande abraço!!!!

YoSueño disse...

Hola me gusta tu blog y si me lo permites me quedo.Un SALUDO

MYS disse...

Olá,

Bjinhos de luz Malu, obrigada pela visita :)

YoSueño grata pela visita, visitarei seu blog, bjinho de luz :)

Abç de Luz
MYS